Dicas para participar de provas de corrida
30/11

RSB_HOME

alt

A corrida de rua é uma das modalidades que mais conquista novos adeptos diariamente e a maior parte dos praticantes quer participar de provas e competições. Pensando tanto naqueles que já correm quanto em quem está pensando em começar, na coluna No Pain No Gain desta semana, o mestre em fisiologia do exercício e proprietário da Trainer, Marcos Pudo, vai dar dicas para os corredores que vão participar de provas de rua.

Antes de começarmos com as cinco dicas é importante lembrar que, para uma pessoa sedentária, é necessário fazer uma avaliação clínica, para medir uma série de funções em estado de repouso. Depois é hora de fazer o teste da esteira, para ver como o corpo se comporta sob estresse. O exame clínico não dá resultados para determinar o treino em si, mas é importante para saber a condição de saúde daquela pessoa.

Além destes testes, o médico vai fazer um exame completo a partir do seu histórico familiar, hábitos, alimentação, entre outras coisas, para determinar se a pessoa está apta a praticar o exercício.

Essas dicas servem para qualquer pessoa na prática, independentemente da modalidade. Dito isso, vamos às dicas:

Avaliação física do treino
Precisamos saber qual é o seu estado de treinamento. Se quer correr 10k, vai depender se já treina ou se é sedentária e quer começar. Temos de saber exatamente a situação da pessoa para determinar o treino correto. Fazer um teste para descobrir o nível de condicionamento é essencial.

Temos de saber como está sua utilização e captação de oxigênio durante o exercício, a capacidade de suportar fadiga, entre outras coisas. E é importante que, se você quer participar uma prova de corrida de rua, faça um teste específico de corrida.

Procure alguém experiente para orientações
Ninguém sabe tudo, não adianta. Na prática, o professor geralmente tem um conhecimento muito específico. Por isso é importante procurar um especialista para prescrever o treino correto para você.

Isso fará bastante diferença porque o profissional usará da experiência que tem para determinar qual é a melhor forma de você alcançar os resultados desejados.

Faça treinamento de força
Normalmente as pessoas começam a correr e esquecem o treinamento de força e resistência. Se você faz musculação ou pilates, por exemplo, não pare, porque isso vai ajudar, e muito, na corrida, principalmente para quem tem excesso de peso.

Estas pessoas muitas vezes pensam que primeiro vão correr para perder peso e só depois vão para a musculação, mas não funciona assim. A estrutura do aparelho locomotor tem de estar muito adaptada para suportar o peso do seu corpo, por isso não é tão simples sair correndo por aí.

Só para ter uma ideia: alguém com 100 quilos correndo a 8 km/h tem 250 quilos de impacto toda vez que bate um pé no chão. O impacto é em média duas vezes e meia o peso num único pé. Se você estiver caminhando, essa relação é de 0,5 o peso do corpo.

Por tudo isso é importante que esta pessoa também faça treinamento de força, para que o corpo suporte tanto impacto. Ela não precisa fazer um treinamento de hipertrofia, para ficar super musculosa, mas sim para fortalecer os músculos.

Tudo isso é fundamental para evitar lesões e conquistar bons resultados. A musculação será um complemento.

Procure informações
Para participar de provas, além do preparo físico em si, você precisa estar preparado mentalmente e a busca por informações vai ajudar neste ponto.

Procure saber qual é a dieta dos corredores, os horários que eles treinam, como é o treinamento e por aí vai. Tem muita gente correndo às 11 horas, por exemplo, e isso está super errado. Com mais informações, a chance de a pessoa evitar estes erros básicos é maior.

Peça informação para pessoas mais experientes, procure conversar com quem já disputou provas ou que treinam há mais tempo que você e faça parte de grupos de corredores.

O networking é fundamental para você melhorar, porque estará envolvido com pessoas diferentes e a troca ideia vai estimular e ajudá-lo a correr melhor.

Mas é importante também evitar os radicalismos e não considerar tudo como verdade absoluta, porque às vezes o que funciona para um não funciona para outro, mas isso não significa que você não pode ter aquela informação.

Se você chegar à conclusão de que precisa mudar algo radicalmente no seu comportamento, seja dieta ou rotina de treino, procure um profissional para orientá-lo. Detalhes e pequenos ajustes podem ser feitos aos poucos, sem que isso cause grande prejuízos.

Dedicação total
Você pode ter o melhor treino e a melhor dieta montados, mas quem vai seguir e treinar forte é você mesmo, por isso é fundamental ter dedicação e levar tudo isso muito a sério.

Imagine que a dieta foi pensada com base num determinado gasto calórico, daí no treino você não faz a distância que deveria. Isso vai ter impacto no resultado. É importante manter a frequência do treino, levá-lo a sério e seguir o que foi determinado.

A rotina é fundamental e o exercício é um exemplo disso: considerando a condição física das pessoas, a progressão é lenta. Você só vai conquistar os resultados se manter o hábito de treinar por um longo período e levar a sério. Não tem gente que fica milionária do dia para a noite? No exercício isso não existe. Ninguém vai dormir sedentário e acorda atleta. A evolução é lenta e contínua.

Inclusive, as pessoas estão se machucando por conta dessa pressa, porque o corpo não aguenta. É até moda usar aqueles adesivos no corpo, não é? Como se isso fosse algo legal, mas na prática não é. Legal é ser saudável.

Para finalizar é importante dizer: não existe sorte no exercício. Ninguém alcança os resultados que quer por sorte, mas sim por dedicação. Então o segredo é este!

Moral da história: se a vitória é resultante de uma repetição correta e continuada, o resultado não está em uma ação isolada.


Deixe seu comentário

1000 RSC_CHARS_LEFT

Antispam RSC_REFRESH_CAPTCHA RSC_CAPTCHA_CASE_INSENSITIVE

Facebook
Instagram