No Pain No Gain: planejando um ano de exercício
18/01

RSB_HOME

alt

Já estamos na metade de janeiro e agora ninguém tem mais desculpa para não planejar as atividades que vai praticar durante este ano. E é justamente esse o assunto da primeira No Pain No Gain de 2016: planejando um ano de exercício. Vamos às cinco dicas do Marcos Pudo, mestre em fisiologia do exercício e proprietário da Trainer.

Planejamento
Sabe aquelas pessoas que marcam a data do casamento e a noiva experimenta um modelo de vestido cujo tamanho é menor? Normalmente ela coloca uma data para perder X quilos e conseguir usar o vestido, no entanto, se o casamento for em maio, por exemplo, não adianta ela chegar ao peso desejado em abril, porque pode engordar novamente. Por isso, o segredo é planejar.

Converse com o professor para traçar todos os objetivos que você quer para este ano. Imagine que suas férias serão em julho e quer chegar com o corpo de uma determinada forma. Você não precisa atingir o objetivo rapidamente, porque terá alguns meses para treinar, e é assim que funciona.

Não importa qual seja o prazo e o objetivo, com o planejamento será muito mais fácil de chegar aonde você quiser.

Periodização
Aliado ao planejamento de treino está o que chamamos de periodização, que nada mais é do que definir períodos para pequenos objetivos dentro do objetivo maior. Cada um desses terá uma determinada meta, que não é a final, mas sim aquela definida para aquele espaço de tempo.

Pequenos objetivos
Digamos que o período total para você alcançar a meta é de seis meses. Dentro disso, tenho de ir fechando os ciclos para ter uma visão macro de tudo: qual será o treino mensal, semanal e diário? Com essas rotinas será possível enxergar o todo e ir avaliando de perto os avanços.

Neste momento, o professor é essencial, porque ele conseguirá dividir os ciclos de acordo com a característica de cada treino, sempre aliado ao objetivo final.

Adequação
Aqui é momento de saber quais mudanças precisam ser feitas no treinamento ou dieta. Dependendo do seu estilo de vida, pode ser algo bem radical. Tem gente que se alimenta muito mal por exemplo, e será a hora de mudar tudo isso.

Essa adequação é quase que constante, porque vai depender do ciclo em que você estiver. Em determinados momentos será necessário um consumo maior de proteínas e treinar mais força, já em outros, a dieta precisará ser rica em carboidrato e o treino vai mudar completamente.

O planejamento funciona justamente para ajustar tudo isso durante o ano, e não ficar uma coisa jogada ou mudando toda hora sem sentido, porque os resultados não vão chegar.

Quem não tem meta, tem medo de avaliar; quem não avalia não sabe onde está e quem não sabe onde está, ou onde está a felicidade, qualquer lugar é bom. Temos o hábito de sempre repetir isso para ajudar os alunos a entender melhor como o processo todo funciona.

Avaliações
Se você seguir tudo o que falamos até aqui e não fizer este último item, talvez comprometa todo o processo. É preciso levar as avaliações muito a sério e seguí-las à risca. Se vai verificar o peso a cada duas semanas, terá de fazer isso com comprometimento. O resultado de tudo vai depender deste acompanhamento.

Às vezes o treino não está surtindo o efeito desejado e só vamos descobrir com as avaliações. Aqui também temos condições, inclusive, de identificar os problemas. Pode ser que você não esteja seguindo a dieta ou a rotina de treinamento, daí com a avaliação vamos saber exatamente o que está acontecendo.

É preciso ter os números para analisar e ter referência, porque do contrário você ficará suscetível ao estado emocional daquele momento. Você pode achar que está gordo, magro e por aí vai. O achômetro aqui não vale.

Moral da história: a felicidade também pode ser planejada.


Deixe seu comentário

1000 RSC_CHARS_LEFT

Antispam RSC_REFRESH_CAPTCHA RSC_CAPTCHA_CASE_INSENSITIVE

Facebook
Instagram