Campeã! A coluna mais lida da história do No Pain No Gain
12/12

RSB_HOME

alt

A coluna campeã entre as mais lidas do No Pain No Gain teve incríveis 25.283 leitores!

Com ela, chegamos ao final do Top 10 No Pain No Gain e o “dono da coluna”.

O proprietário de Trainer e mestre em fisiologia do exercício, Marcos Pudo, comentou o ranking: “Fico extremamente feliz de descobrir o tamanho do alcance da coluna. Me esforço muito para falar sobre os assuntos da melhor maneira possível e espero ter contribuído com as pessoas de alguma forma”.

E a grande vencedora é . . .

 

É normal sentir dor durante e após os treinos?
(publicado originalmente em 28 de abril de 2014)

Várias pessoas me questionam sobre a percepção da dor nos exercícios abdominais, citada na coluna No Pain, No Gain da semana retrasada (veja aqui). Por isso, vamos voltar a falar sobre a dor que ocorre em exercícios localizados, em qualquer grupo muscular.

A expectativa que temos quando realizamos este tipo de exercício é perceber que estamos trabalhando esses músculos com eficiência. Para isso, queremos sentir alguma dor.  Mas, não “qualquer” tipo de dor. Para explicar, vamos separar a dor em dois tipos: a sentida durante ou imediatamente após o exercício e a dor tardia.

A dor durante o exercício é normal, desde que não seja fora do músculo que está sendo trabalhado. Por exemplo: muitas pessoas têm mais dor no pescoço (região cervical) do que no próprio abdome quando fazem abdominais.

Isso acontece quando os profissionais pedem aos alunos que olhem para um ponto fixo no alto durante o exercício, o que provoca uma hiperextensão na região cervical, causando a dor. Para evita-la, basta flexionar a cervical aproximando o queixo do tronco.

Outra dor recorrente é na região anterior do pescoço, justamente por essa flexão indicada anteriormente, eu estimula um músculo auxiliar chamado externoclideomastoide. Esta dor é considerada normal, principalmente em alunos iniciantes. Ela causa apenas um desconforto durante a execução do exercício e se torna mais aguda ou forte no dia seguinte.

Nos músculos da região abdominal (reto e oblíquos), a dor que sentimos durante o exercício é causada pela queda do PH do músculo, que se torna ácido e estimula os receptores dolorosos. Essa queda no PH e, em consequência a dor, são mais percebidos em exercícios com número de repetições mais elevadas, como acima de 15.

Agora, se o desconforto estiver em outras partes do corpo, como dor nas costas após fazer agachamento, algo está errado no movimento. Esta é a dor tardia, também conhecida como soreness, que se dá pela microrruptura do tecido muscular e pela inflamação nos tecidos conjuntivos que envolvem os músculos e os tendões. O tempo de dor varia em cada pessoa. Normalmente, ocorre 24 horas após o exercícios, tendo seu pico de dor em torno de 48 a 72 horas depois, desaparecendo após quatro a seis dias.

Movimentos corretos
Algum tempo atrás, ouviu dizer de uma pessoa que fazer exercícios abdominais protegeria a coluna e evitaria a compressão sobre a hérnia de disco que ela tinha. O que está correto. Porém, ela resolveu fazer os exercícios em sua própria casa, sem orientação. Como resultado, teve uma crise de dor e precisou tomar remédios durante vários dias, o que a impossibilitou de trabalhar e cuidar dos afazeres do dia a dia.

Após tudo isso, me procurou dizendo que gostaria de fazer exercícios com orientação. Avaliamos as informações dos seus exames e criamos uma série de exercícios para todo o corpo de forma segura. Depois de alguns meses fazendo os exercícios, ela não teve mais crises e recuperou a condição de uma vida normal e sadia.

Moral da história: tire a bunda do sofá e vá treinar corretamente.


Deixe seu comentário

1000 RSC_CHARS_LEFT

Antispam RSC_REFRESH_CAPTCHA RSC_CAPTCHA_CASE_INSENSITIVE

Facebook
Instagram